Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Porta Ŋobre

« Se a nobre cidade do Porto é o tronco do ilustre nome de Portugal ... que português haverá que tenha zelo da honra deste nome, que o não tenha também da honra desta cidade. » (Gaspar Estaço)

A Porta Ŋobre

« Se a nobre cidade do Porto é o tronco do ilustre nome de Portugal ... que português haverá que tenha zelo da honra deste nome, que o não tenha também da honra desta cidade. » (Gaspar Estaço)

UMA VISTA DO PORTO DE 1813

A imagem abaixo é uma vista do Porto feita em 1813 da responsabilidade de um senhor irlandês chamado John Synge, a qual até muito recentemente eu desconhecia. Incluída no seu book of paintings made in Portugal and Spain é curioso salientar que esta é a única vista que o autor tirou da nossa cidade, onde preteriu a muito mais usada perspectiva a partir de Vila Nova de Gaia. Ainda assim permite-nos localizar alguns marcos: claramente se distingue o outeiro da "Serra do Pilar" com o seu mosteiro. Na banda do Porto a cidade está quase invisível sendo que as únicas formas que bem se distinguem são as da arcaria do paredão das Virtudes. Logo a seguir nova curva, novo monte: é o da Torre da Marca com a dita ainda existente (lembra-se o leitor de uma postagem anterior que a torre foi demolida em 1832 ou 1833); cá em baixo, no sopé do mesmo monte, vê-se o que parece ser as torres da igreja paroquial de Massarelos. Mais perto do desenhador temos umas estruturas e junto a elas dois navios que estarão ligadas com os estaleiros do Ouro ou alguma estrutura portuária na Arrábida ou mesmo ainda no Bicalho(?). É confuso pois a imagem é uma representação artística que parece não respeitar as distâncias reais. A ajudar à confusão, parece ser certo que os rochedos que surgem à esquerda em primeiro plano pertençam à área onde agora assenta a Ponte da Arrábida no lado gaiense, uma vez que depois dessa curva o rio alarga-se imenso na sua foz (podemos por de lado que se tratem de rochedos associados à Ilha do Frade e suas imediações?).

0012.jpg

The RIver Duero, & part of the Town of Oporto, from the road to St. Joaõ - April 1813 (disponível na Trinity College Dublin)

 

Para finalizar não será excessivo lembrar que este desenho reporta a uma Era das mais ignóbeis para o nosso país: expulsos que haviam sido os franceses e com a corte no Rio de Janeiro, os ingleses libertadores tornaram-se nos ingleses opressores e com punho de ferro nos governavam, constituindo Portugal um autêntico protetorado inglês debaixo da sola de Beresford (veja-se por exemplo o episódio da execução do General Gomes Freire de Andrade em 1817). É a face menos bonita das relações anglo-lusas que mesmo assim não podemos esquecer que criou laços muito fortes, sobretudo no Porto, não obstante ter também motivado a revolta de 1820 na nossa cidade. Essa revolta foi apenas o primeiro passo para uma via dolorosa que o país atravessou e que acabaria, finalmente, em 1851 com a Regeneração.

 

__________

PS - Este album tem mais imagens bem interessantes para o estudo de outras cidades e locais do nosso país na era imediatamente anterior ao aparecimento da fotografia; como por exemplo a imagem de Amarante que mostra o convento dominicano de S. Gonçalo ainda cravejado de buracos de projéteis (certamente resquícios das invasões napoleónicas que se haviam dado há bem pouco tempo).

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D